quarta-feira, 28 de julho de 2010

Ação Civil Pública - Interferon Peguilado para todos os Genótipos

Interferon Peguilado deverá ser fornecido aos portadores de todos os Genótipos da Hepatite C em SC


Tratamento doloroso e complexo


Santa Catarina possui papel de destaque nesse cenário dramático. Ocorre que em nosso estado possui um número de alarmante de contaminados pelo vírus C (HCV) , no litoral e Vale do Itajaí. Da mesma forma ocorre com a Hepatite B na Região Oeste, Chapecó e entorno. Assim, SC é considerada zona endêmica de ambas as Hepatites (B e C) devido à contaminação desproporcional.

Hepatites Virais de SC  -  Dive/SC
Contudo, na data de ontem (Dia 20 de Julho) nosso estado passa a ter motivos para orgulhar-se de uma conquista política alcançada inédita no Brasil, quiçá no planeta.


Em audiência com o Juiz Federal Dr. Hildo Nicolau Peron, da 2a Vara Federal SC foram definidos novos consensos para o tratamento da Hepatite C em SC a partir da Ação Civil Pública, movida em 2004 pelo Grupo Hércules ( Luta Contra as Hepatites Virais – Apoio a Doação de Órgãos e Transplantes de Fígado).

O ganho de causa pela liberação dos medicamentos (Interferon Peguilado e Ribavirina) para tratamento de Hepatite C, Genótipos 2 e 3 é direito de todos os pacientes residentes em Santa Catarina, sendo os procedimentos semelhantes aos que se referiam apenas ao Genótipo 1, no Protocolo Nacional de Hepatite C do Ministério da Saúde (MS).


Merecem destaque os seguintes consensos:

- Não há vínculo à marca comercial do Interferon Peguilado, dosagem por embalagem, Laboratório fabricante, etc.;

- os medicamentos serão enviados aos Pólos de Aplicação ou Postos de Atendimentos à Saúde (Unidades Básicas) dos Municípios;

- haverá Capacitação dos funcionários da Saúde envolvidos;

- todos os casos Notificados Oficialmente gozarão deste direito, sendo prevista multa no Caso de Descumprimento.



Outras medidas a serem implantadas e demais detalhes poderão ser encontrados no site da Justiça Federal.

www.jfsc.gov.br


ou



Em nome de todos os Catarinenses afetados pelo vírus C, o Grupo Hércules agradece ao Dr. Hildo Nicolau Peron e a Cláudia Boeira da Silva (que representou judicialmente à OSC) por esta enorme vitória, São conquistas como essa que “nos fazem continuar lutando e acreditar que é possível fazer A DIFERENÇA".



Outra notícia encorajadora e que motiva a busca de novas Políticas Públicas é que após 9 anos de insistência do Movimento Social pelas Hepatites Virais no Brasil, o Ministério da Saúde, por meio do Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais (PNHV), lançará uma série de metas e ações integradas de prevenção e controle nos níveis de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) para o enfrentamento das hepatites virais no Brasil.

O objetivo do Hércules é a criação e implantação de condutas de Tratamento das Hepatites Virais ( A, B, C e DELTA) em nosso Estado que sirvam como Referência Nacional, como já ocorre com sucesso, nos Transplantes de Fígado realizados em Blumenau, Hospital Santa Isabel, onde o Grupo Hércules também atua.

Ações em direção às Políticas Públicas de Saúde. Políticas de Estado e não só de Governos.


Vale ressaltar que a ONG será anfitriã de todas as ONGs da Região Sul no III Erong Sul de HV e Transplantes de Fígado - I ERONG FLORIPA , de 11 a 14 de agosto próximo e como se trata de Organização Não Lucrativa, está necessitando de apoio para a realização de um evento que faça “jus” ao que Santa Catarina pode oferecer.

Agradecimentos especiais e gratidão à Coordenadora de Hepatites Virais e Fundadora do Grupo Anna M Gomes Haensel pela ACP.





Contatos com Grupo Hércules:

Anna M.Gomes Haensel – Fundadora e Coord. de HV: Tel. 55 48 9959-7417 gru_hercules@yahoo.com.br

Fernando Cezar P.Santos – Presidente do Grupo: Tel. 55 48 9938-8336: astroblu08@gmail.com

Florianópolis/SC

Olga Lúcia Viegas Marcondes - Coord. de Doação de Órgãos/Tecidos e Transplantes de Fígado:

Tel. 55 47 8864-9880 olgavmarcondes@terra.com.br

Blumenau/SC

Um comentário:

  1. Olá blogueiro,
    É muito importante também incentivar a doação de órgãos e conscientizar as pessoas sobre a importância deste gesto de solidariedade.
    Para ser doador de órgãos não é preciso deixar nada por escrito. O passo principal é avisar a família sobre a vontade de doar. Os familiares devem se comprometer a autorizar a doação por escrito após a morte. Divulgue a ideia e salve vidas!
    Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir

Por favor, fale um pouquinho sobre o post acima. Participe do Blog e da melhora dele. Porém nos reservamos ao direito de não publicar comentários ofensivos, anti-éticos e links Obrigado!!